1.8.13

céu de dias tristes I

faço big planos
[quimeras de pequenos recursos]
tomando chá em segredo às 4:44

                        : seguir com êles

                        : cantar em silêncio

                        : salgar a pele e os olhos
                        a terra o chão o deserto
                        [maresia de vidro moído]

esfrego muito
os vidros sujos do trem
...é inútil
continuam embaçados

os olhos esfrego os dois
as lentes dos óculos
- quiçá o vapor da infusão?
novamente as janelas

[                                  ]

penso se seria
a ausência de ½ luz na película fumê
a outra metade dela
na paisagem
a gordura passageira dos dedos
ou a fuligem do carvão
ou ainda
esse clima opaco

[                                  ]

- parece que são meus olhos

concluo.

céu de dias tristes II

vejo uma menina chorando e uma mãe impaciente
refletindo na cabina ao lado

[                                  ]

- não sou eu

                        mesmo assim, Mermaid
                        é um espanto essa alegria esbranquiçada
                        contida na acromia da luz dos dias tristes

                        é um espanto
                                    que mal cabe na íris
                                    que mal atravessa sua contração óptica

                        espanto: nadar contigo
                        e cantar modas surdo-MUTE
                                    para liras em transe

                                    porque quanto mais fundo eu perfuro a água
                                    costurando suas frestas
                                    mais água há no fundo mais água

penso então
no fundo de cada xícara da casa

                        se não temos assoalho na piscina
                        as borras bem poderiam ser
                                   azulejos de grande utilidade!

                                                              sonho: com domadores de ursos
                                                                       : e coelhos
                                                                       : e phantasmas

     que aparecem nos espelhos […]

concluo, não posso [.]

                       [:] seguir com êles
Licença Creative Commons
sede de pedra de Rita Barros é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.